Ester Farias de Oliveira

Momentos e Movimentos, Lúcidos Pensamentos

Textos


OS MORTOS NÃO CONVIVEM COM OS VIVOS

 

Sim!!! Sou abusada de falar sobre esse tema que assusta tantos. Quero deixar registrada a minha convicção para tentar desmistificar crenças absurdas.

Isto que estou fazendo aqui não é uma tentativa de construir ou destruir situações que possam trazer algum benefício a minha pessoa ou a uma determinada instituição. Peço que o leitor retire do pensamento toda idéia de interesse egoístico nesta minha empreitada. Sou idosa e bem resolvida em quase todas as questões da minha jornada nesse mundo materialista. Não estou sendo leviana ou irresponsável tampouco. Hoje meus pensamentos impuseram esse dilema de revelar sobre essa minha certeza de que muitos começam na inocência de achar que vê ou conversa com pessoas desencarnadas e acaba na ambição de enriquecer a partir desta equivocada idéia. Vou tentar esclarecer, nesta minha argumentação, que pessoas que morrem nunca  permanecem ou retornam para essa nossa dimensão. Mas tudo aqui diz respeito a minha convicção formada depois de estudar, ler e observar tudo que diz respeito ao tema. Vou usar uma linguagem clara, direta e objetiva para que todos consigam entender minhas assertivas.

 Ademais, tenho que dizer também que essa prática de tentar transformar efeitos naturais em sobrenaturais para angariar fieis acontece em todas as instituições religiosas. Isso acontece desde que o mundo é mundo. Essas instituições religiosas, todas elas, desenvolvem atividades nobres na terra. Cada um participa de uma comunidade religiosa conforme sua própria convicção. Eu participei de uma comunidade religiosa até o momento em que me fazia sentir conectada com seus rituais e doutrinas. Com o tempo formei minhas próprias convicções religiosas a partir desta base que, foi muito boa, e ajudou muito na minha evolução espiritual.

Entrando direto no tema sobre pessoas que vêem espíritos e conversam com eles. Em primeiro lugar, esses fenômenos não são pessoas desencarnadas. Eu sei que essa afirmação vai provocar desconforto em muitos que criaram essa certeza no coração e estão agarradas a este tronco de salvação com medo de acontecer algo muito ruim. Podem soltar esse tronco que nada de ruim vai acontecer.

Os acontecimentos que dizem "sobrenaturais" são divulgados em shows midiáticos que estão sendo explorados na televisão, podcast, you tube, redes virtuais diversas, enfim, presenciais e virtuais, tem de todos os modelos. Esse eventos acontecem há muito tempo, desde os homens das cavernas. Basta que provoque a admiração e o medo nas pessoas, pronto o circo é montado. Hoje em dia muitos ficam ricos, explorando esse tema.

 Sem registrar nomes, tem um programa onde a pessoa aborda seres na rua, no restaurante, no salão de beleza e, ainda, promove reuniões coletivas em que começa dizendo o seguinte: 

                                       - Oi! Meu nome é fulano! Eu sou médium e falo com pessoas que já morreram!

E para provar o seu poder sobrenatural começa a dizer sobre coisas muito íntimas de determinadas pessoas. E, nessas intimidades sempre tem a figura ou as figuras de pessoas que já morreram.

Qual a explicação que tenho para esses fenômenos? Não vou usar termos técnicos e incompreensíveis. Acaso algum especialista quiser ajudar, será aqui bem vindo.

Percebam que em todas essas demonstrações é preciso que uma  ou mais pessoas vivas estejam dentro de um campo próximo ao médium. Essas pessoas quando são avisadas que alguém vai contactar um ente querido que já faleceu, imediatamente concentra todos os seus pensamentos neste ou nestes entes falecidos. Essa energia de pensamentos começa a imprimir imagens que esses médiuns conseguem ver e, então descrevem o que estão, de fato, vendo.

Ver imagens impressas a partir de energias vindas de outras mentes não é sobrenatural mas apenas uma característica que algumas pessoas já nascem com elas. Tanto que relatam ver espíritos desde crianças. As pessoas que utilizam dessas vantagens para sobressair ou administrar os preconceitos que sofreram em decorrência disso não tem que sofrer condenações enquanto estiverem dentro de um limite de respeito ao próximo.

Repito. Não vou citar nomes. Mas temos muitos exemplos amplamente noticiados em documentários de vários veículos de comunicação, de pessoas com essas características que passaram muito do limite e foram, por isso, condenadas.

Essa é a minha convicção: Deus existe e criou os céus e a terra, dando poder ao ser humano para administrar toda a sua criação. Cada um será responsável pela sua cota.

 

 

 

                              

                                   

Ester Farias de Oliveira
Enviado por Ester Farias de Oliveira em 30/07/2022
Alterado em 30/07/2022


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras