Ester Farias de Oliveira

Momentos e Movimentos, Lúcidos Pensamentos

Textos



Um ser estranho indaga
Para ela e a amiga lágrima:
O homem existe?

E sua visão ergueu.
 E sua amiga cedeu.

Vejo o homem em todos os lugares
Nas ruas, nos bares e até nos lares.

Sinto o perfume do homem e sua essência.
Minha pele sente também sua existência.

A voz do homem é sólida e presente.
Modernidade líquida ficou ausente.

Então o sorriso, que é homem, com ela ficou.
E o ser estranho com tudo se admirou.

A divina então a pergunta fez:
Não sente, não escuta e não vê?

Pobre e estranho ser.
O homem existe
Quem não existe? é você!


 
Ester Farias de Oliveira
Enviado por Ester Farias de Oliveira em 02/08/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras