Ester Farias de Oliveira

Momentos e Movimentos, Lúcidos Pensamentos

Textos









EXTERMINADORA DE DEMÔNIOS

O  cinema estava lotado.
Havia ali horrendos expectadores aguardando alimentos emocionais fortes.
Eles dependiam disso pra sobreviver.
O filme começava com dois jovens que viviam felizes com seu casal de filhos.
O jovem militar sentia orgulho em ajudar seus oito irmãos órfãos de pai e mantinha um jovem irmão em sua casa até que terminasse seus estudos.
Essa cena pitoresca irritava os expectadores que sentiam fome de tragédias.
Mas, teriam que esperar.
O jovem corajoso e bravo militar deixou sua bela esposa, filhos e jovem irmão em seu abrigo para uma missão em sua base militar, por alguns meses.
Uma nova cena se formava ... os expectadores com suas feições horrendas deixavam a saliva escorrendo de tanta ansiedade.
A doce jovem que ainda se comportava de forma infantil, provocava o jovem irmão  de seu marido com brincadeiras.
A casa ia abaixo com dois adolescentes que corriam de um lado e outro. Puxões de cabelo, beliscões, gargalhadas histéricas...
A brincadeira foi tomando outros rumos.
Finalmente servia-se o tão esperado banquete.
A grande tela exibia cenas de loucura, traição e sexo explícito , saciando os horrendos expectadores que agora se deliciavam com tudo aquilo.
Mas, para aqueles ansiosos e devoradores clientes, o melhor estava para surgir.
O fruto mais desejado era uma menina, filha daquela loucura e devaneio.
A criança crescia  envolvida em mantos de ódios, incertezas e vinganças.
Um excelente prato a ser servido.
A cena de um ser que alimentava sentimentos de orgulho, ciúmes, traição. 
Os demônios arguadarvam ansiosamente os muitos banquetes a serem saboreados a cada desenvolver daquele roteiro macabro.
Nasce, então, o fruto mais desejado. Uma menina.
Enquanto aquele desejado fruto amadurecia; o louco adolescente distraía aqueles terríveis expectadores.
Um jovem que crescia causando sérios transtornos à família, transformando-se em alcoólatra crônico e, ainda, envolvendo-se com uma louca que se formara na arte de fazer trabalhos de feitiços e magias negras.
Os demônios o devoraram de tal forma que o moço logo desapareceu. Nem mesmo seus irmãos sabem qual destino daquele infeliz que desapareceu.
Agora, os devoradores de almas voltavam-se àquela inocente  menina.
Imaginavam o grande banquete que uma uma filha da traição no meio de uma família que desenvolvia em retidão e equilíbrio, cujo patriarca almejava o caminho da perfeição e do amor eterno.
Os expectadores urravam e gemiam por já não suportarem tanta ansiedade.
Foi então que houve um grande silêncio naquela estranha platéia.
A cena começava a tomar a forma esperada e desejada por todos.
A menina crescia linda e formava-se em uma jovem muito  atraente.
Seu rigoroso pai começava a ver aquela jovem com outros olhos e tinha comportamentos anormais quando dela se aproximava.
Logo, a menina percebeu que havia algo errado, mas sua inocência não lhe esclarecia os pensamentos.
Os esfomeados enloqueciam e queriam ver toda aquela inocência e pureza banhada de rancor e sangue. 
Havia uma questão mal-resolvida no mais íntimo da consciência daquele bom homem. Esse seria o ingrediente infalível e perfeito para toda a desgraça esperada.
O cheiro do banquete estava no ar e os demônios não se continham em seus assentos, precisavam ver tudo mais de perto e tocar...
O grande momento estava em pleno desenvolvimento.
O pai aproximava-se da linda jovem, cheio de desejos, pronto para possui-la e completar uma vingança que não havia calculado, mas pensava ideal para finalizar seu tormento.
Era a oportunidade que ele teria para lavar sua honra e finalmente resolver aquele assunto.
Entretanto, a jovem e bela menina tinha algo que os demônios ainda não haviam percebido. Um dom que ganhara de um grande anjo.
Olhou para aquele homem tão sofrido e cheio de rancor e disse:
- não fique assim tão triste e não se preocupe... nada será capaz de arrancar esse amor que sinto por você.  Amor e gratidão por ter me aceitado como filha. Vamos nos unir e vencer os demônios e tudo vai dar certo.
- Você sempre será meu pai e eu sempre serei sua filha. Não importa o que tenha acontecido.
Então aquele generoso homem voltou a si e percebeu que havia se livrado de uma tragédia que poderia alimentar os demônios por muito tempo.
Criou novas forças e seguiu vivendo com sua mulher e filhos como um grande guerreiro vitorioso.
Nesse instante, os demônios eram criaturas rastejantes que choravam de dor, pois alguém havia queimado todos os seus alimentos.
Na tela grande via-se uma bela mulher sorridente, exalava um perfume mágico que transformava os demônios em cinzas e sua  doce voz anunciava:
- Estúpidos demônios! Tenho atraído todos para esse lugar. Vocês estavam tão famintos e loucos que não perceberam. Sou uma escolhida.
- Sou exterminadora de demônios.





 
Ester Farias de Oliveira
Enviado por Ester Farias de Oliveira em 11/11/2009
Alterado em 10/01/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Imagens google). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras